segunda-feira, 31 de maio de 2010

Deusa da Floresta


A Deusa da Floresta é um aspecto de muitas deusas. Ela é o espírito protetor que cuida dos bosques e de suas criaturas. É comumente vista na companhia do Deus Cornudo, pã, Fauno, Puck e Cernunnos. Ao honrá-la, demosntramos nosso respeito e apreço por seu trabalho.
O modo mais óbvio de honrar a Deusa da Floresta é tratar respeitosamente seus domínios. Não atire lixo. Tome cuidado com o fogo. Não maltrate estupidamnete suas criaturas ou os bosuqes. Se precisar derrubar um árvore ou uma planta, deixe uma oferenda de mel e leite e peça permissão antes! Eu não aprovo a caça de animais, a não ser quando extremamente necessário. Se você caçar, não esqueça de agradecer à deusa e ao espírito do animal morto. Os nativos americanos possuem a concepção correta sobre isso. E se caçar, não desperdice o que tomou.
Se deseja vagar pelos bosques e sentir-se bem recebido pela Deusa da Floresta, leve um pequeno pacote de fertilizante consigo. Quando encontrar um local que desperte sua atenção para contemplação, sente-se ao pé de uma árvore.Ouça com atenção os sons da natureza. Sinta a força da árvore na qual se encostar e deixe que parte de sua energia flua para dentro de você. Sinta o poder da terra fluindo através de seu corpo. Retribua enviando seu amor para todo o bosque. Não recomendo meditação ao ar livre, a não ser que esteja certo de que não há perigo.
Quando erguer para partir, espalhe o fertilizante ao redor da árvore onde sentou. Essa oferenda será bem recebida.Você pode até receber o inesperado presente de uma folha ou castanha caindo aos seus pés. Agradeça à árvore e à Deusa da floresta por permitir que se renovasse nos bosques.
Bem estes são alguns rituais,com o passar dos tempos irei adicionando aos poucos mais rituais!Espero que tenham gostado!

Ritual da Fada de Inverno


Durante os meses de inverno,os Espiritos da Natureza normalmente repousam enquanto suas plantas e árvores reposam também.Entretanto se convidar os que vivem em sua área para sua casa,eles pode passar os meses de inverno com você,checando suas energias se necessário.Eles são amigos maravilhosos tanto para humanos quanto para animais. Gostam em particular de ciranças pequenas.

Você prescisará de:
Gengibre em pó
Uma pequena colher
Velas para os quadrantes
Cristais ou Pedras.

Neste ritual você nã prescisará abrir o círculo.Simplesmente coloque as velas nas direções dos quadrantes e ao lado de cada vela coloque um cristal ou uma pedra.Em pé no centro da sala,envie seus pensamentos para dar as boas vindas aos Pequenos.Entoe:

Ó espiritos das plantas e da Terra e das árvores,
Ó Pequenos de todas as formas,
Eu peço para que se apresentem a mim.
De mim não partirá nenhuma agressão.
Juntem-se a mim em amizade e amor.
Trazendo prazer na antiga magia,
pois para sempre com os Antigos Deuses
Podemos recriar todas as coisas em ouro.
Espíritos Guardiães,nossas vidas se unem.
Tudo nós compartilhamos.

Volte-se para o leste.Polvilhe um pouco de gengibre na vela e diga:

Todos vocês,espíritos e fadas,
Ouçam meu chamado.
Entrem neste círculo mágico.
Bem - Vindos Todos!!!

Volte-se para o sul polvilhe o gengibre e diga:

Todos vocês raios de Sol,
Ouçam meu chamado
Entrem neste círculo mágico.
Bem - Vindos Todos!!!

Volte-se para o oeste,polvilhe o gengibre e diga:

Todos vocês,duendes das águas
Ouçam meu chamado
Entrem neste círculo mágico.
Bem - Vindos Todos!!!

Volte-se para o norte,plovilhe o gengibre e diga:

Todos vocês dos raios de Luar,
Ouçam meu chamado.
Entrem neste círculo mágico.
Bem - Vindos Todos!!!

Sente-se em silêncio por algum tempo,mentalizando os Pequenos.Esteja atento aos toques deles em seu corpo,como se fossem penas roçando.Ouça suas vozes musicais em sua mente.Fale com eles se desejar.Ao encerrar sua comunicação,fique em pé no centro da sala.Erga seus braços para o alto,dizendo:

Minha gratidão e bençãos,
Àqueles do Ar,da Terra,do Céu e do Mar!

Protetor Noturno


Muitos malefícos são lançdos durante a noite, quando nos encontramos dormindo e, portanto, mais vulnerávei ficamos. Para impedir que tal aconteça, é aconselhável ter esse feitiço sempre do lado da cama, pois, se algum feitiço for lançado, será atraido para esse poderoso neutralizador.
Vc precisará de:
1 copo de água de fonte ou mineral
azeite de oliva virgem
sal grosso

Coloque dentro do copo três pequenos grãos de sale três gotas de azeite. Troque o feitiço cada 20 dias.

Água de Guerra


A Água de Guerra é utilizada parobter proteção ou para lançar ataques mágicos. Utilizada para defeza, a Água de Guerra é um poderoso portador de energia:
Vc irá precisar de:
350g. pregos de ferro
2 litros de água de fonte ou mineral

Coloque os pregos e a água numa garrafa, deixando repousar por oito a dez dias. Guarde, então, essa garrafa num lugar bem fresco, podendo até ser na sua geladeira, abrindo-a de vez em quando para permitir o processo da oxidanação. Quando a água tiver adquirido um tom claro, produto da oxidação, estar então pronta para uso.
Utilizada como banho protetor, basta acrescentar meia xícara em dois litros de água(uma pequana obs: eu jamais usei como banho, não sei se da alergia, então muito cuidado!
Usada na soleira da porta é um magnífico protetor, fazendo retornar qualquer feitiço enviad

Feitiço contra o mal-VINHO DA BRUXA


Para realizar este feitiço, vc irá precisar de:
30g. de folhas frescas de Alecrim
99 alfinetes
1 garrafa de vinho tinto
1 vela preta

Cloque dentro da garrafa o alecrim e os alfinetes. Pegue então o vinho, previamente retirado da garrafa, e jogue-o outra vez dentro dela, reitindo o seguinte encantamento:
Alfinetes, alecrim e vinho,
Nesta garrafa do poder,
Transforma esta casa em ninho,
Para todo mal nós vencermos.
Após ter colocado todo vinho, coloque a rolha. Acenda a vela petra e despeje sobre a rolha os pingo da vela, formando, assim, um lacre na garrafa. Coloque-a na entrada da casa para protege-la de toda a negatividade.

ESSE VINHO DE FORMA NENHUMA DEVERÁ SER TOMADO!

terça-feira, 25 de maio de 2010

O valor profético da mulher


Não a palavras que possam ser ditas ante Teu altar, que expressem o meu amor e o respeito que nutro por Ti"

A Deusa é a Terra e a Terra é a Deusa, que é fonte da sabedoria e inspiração divina

Há igualmente grandes evidências de que a espiritualidade, e em particular a visão espiritual característica de sábios videntes, já foi associada à mulher. Nos registros arqueológicos mesopotâmicos soubemos que Ishtar da Babilônia, sucessora de Innana, ainda era conhecida como a Senhora da Visão, Aquela que Orienta os Oráculos, e a Profetisa de Kua. As tábuas babilônicas contêm numerosas referências a sacerdotisas que oferecem conselhos proféticos nos santuários de Ishtar, algumas das quais são importantes nos registros de eventos políticos. Sabemos, através dos registros egípcios, que a representação de uma naja era o sinal hieroglífico para a palavra Deusa e que a naja era conhecida como o Olho, uzait, símbolo de compreensão e sabedoria místicas. A Deusa naja conhecida como Ua Zit era a deidade feminina do baixo Egito (norte) em tempos pré-dinásticos. Posteriormente, tanto a Deusa Hathor quanto Maat ainda eram conhecidas como o Olho. O uraeus, uma serpente empinada, é encontrada com freqüência sobre as frontes da realeza egípcia. Além disso, um santuário profético, possivelmente sítio de um antigo santuário à Deusa Ua Zit, elevava-se na cidade egípcia Per Uto, que os gregos chamavam Buto, nome grego para a própria Deusa naja. O famoso santuário oracular de Delfos também se elevava em um sítio originalmente identificado com o culto da Deusa. E mesmo em épocas gregas clássicas, após ter sido dominado pelo culto a Apolo, o oráculo ainda falava através dos lábios de uma mulher. Ela era uma sacerdotisa chamada Pítia, a qual se sentava sobre um mocho trípode em tomo do qual havia uma serpente chamada Píton enroscada. Lemos ainda em Ésquilo que nesse templo, que era o mais sagrado, a Deusa era venerada como a profetisa primeva. Outra vez sugere-se que mesmo na idade clássica grega a tradição de uma sociedade de parceria em busca da revelação divina e da sabedoria profética através das mulheres ainda não fora esquecida.

Quando a mulher era mulher


A História do mundo ocultou milhares de anos, de domínio social e religioso da Deusa. Uma sociedade em que as mulheres tinham uma importância vital no campo intelectual e económico. Em que as mulheres eram juízes e magistrados.
Em que as sacerdotisas dos templos davam aos chefes indicações de ordem política e militar, segundo as leis do Céu…
Esse mundo foi desvastado pelas invasões bárbaras e que continua a ser o nosso...
A Pré-História contada pelos homens foi um embuste terrível que tentou escamotear as provas evidentes de uma civilização anterior organizada e pacífica sob o culto da Deusa Mãe.

Nessa cultura:
“A Deusa personifica a unidade de todas as coisas. Ela dá ao seu povo tanto o alimento físico como o espiritual. Dá a vida e na morte mas ela envia os seus filhos para o seu seio cósmico. Ela simboliza a relação com a vida quer no seu lado generoso quer no seu lado destrutivo, ligada à natureza, não se preocupando com as guerras nem com as conquistas.
(…)
O culto da Deusa Mãe irriga um sistema de valores caracterizado pela ausência de violência, uma forma de igualdade e de cooperação entre homem e a mulher, uma ausência de hierarquias. Esta organização social em forma de círculo, teve lugar no mundo durante cerca de 10 a 20 mil anos de civilização sob a inspiração do princípio feminino.”*

*
In La Femme Solaire (traduzido do francês)
Fonte:rosaleonor.blogspot.com

O que é Deusa?


Como "Deusa" é caracterizado um tipo complexo de personalidade feminina que reconhecemos intuitivamente em nós, nas mulheres a nossa volta e também nas imagens e ícones que estão em toda a nossa cultura. Segundo a teoria junquiana, as deusas são arquétipos, fontes derradeiras de padrões emocionais que fluem de nossos pensamentos, sentimentos, instintos e comportamentos, caracterizados e tipificados como puramente "femininos". Tudo que realizamos e gostamos, toda a paixão, desejo e sexualidade, tudo que nos impele à coesão social e à proximidade humana, assim como todos os impulsos, tipo absorver, reproduzir e destruir, são associados ao arquétipo universal feminino. Tais conceitos nos foram deixados como herança pelos gregos e todas as culturas antigas, que percebiam estas energias não como abstrações destituídas de alma, mas sim como forças espiritualmente vitais. Quando tais forças se manifestavam num certo comportamento ou experiência, o denominavam de "compulsão de deuses e deusas".
Quando o amor e a paixão aflorava auxiliado pela convulsão hormonal, os antigos se reportavam a história da bela Afrodite que transtornava o estado de espírito, o sono, os sonhos e a sanidade mental do apaixonado.
Na Grécia, as mulheres percebiam que uma vocação ou profissão as colocava sob o domínio de uma determinada deusa a elas veneravam. No íntimo das mulheres contemporâneas as deusas existem como arquétipos e podem cobrar seus direitos e reivindicar domínio sobre suas súditas. Mesmo sem saber a qual deusa está submissa, a mulher ainda assim deve dar sua submissão a um arquétipo determinado por uma época de sua vida ou por toda a existência. Jung chama o arquétipo das deusas de "Transformadoras", porque tendem a surgir em momentos de mudança em nossa vida, como na adolescência, casamento, morte de um ente querido, modificando totalmente nossos sentimentos, percepções e comportamentos. Uma vez que a mulher se torne consciente das forças que a influenciam, adquire total poder sobre este conhecimento. As deusas embora invisíveis, são poderosas e modelam e influenciam o comportamento e emoções. Quanto mais uma mulher souber sobre suas deusas dominantes, mais centrada ela se tornará, tendo o perfeito domínio sobre seus instintos, habilidades e possibilidades de encontrar um significado especial através das escolhas que fará.
Os padrões de deusa também afetam o relacionamento com os homens. Diga-me qual homem que escolhestes que te direi as deusas que moram dentro de ti. Realmente esta escolha ajuda e elucidar afinidades e dificuldades pelas quais passa a mulher que o escolheu.
Temos que ter em mente que, toda mulher tem dons concedidos pelas deusas, mas ela deve aprender a descobri-los e aceitá-los com gratidão. Mas toda mulher também tem deficiências concedidas pelas deusas que deve reconhecer e superar para que possa trilhar o caminho do auto-conhecimento e realização.
Os homens também são influenciados pelas várias deusas, pois estas certamente espelham as energias femininas na psique masculina, embora, via de regra, os homens vivenciam-nas como exteriores a si próprios, ou seja, através das mulheres pelas quais são atraídos ou pelas quais se sentem fortemente provocados. Descomplicando, os homens vivenciam as deusas projetando-as nas mulheres de sua vida e nas imagens específicas da mídia que lhes causem deleite ou aversão. Uma melhor compreensão sobre as deusas, fará com que este mesmo homem compreenda o porque de sua atração por certas mulheres e o fracasso com outras, permitindo então, que ele comece a fazer as escolhas certas.
Muito embora as culturas guerreiras tenham dominado vasto período do história, o culto à Deusa Mãe sobreviveu e floresceu até a época dos romanos. Esta Grande Deusa era venerada como progenitora e destruidora da vida, responsável pela fertilidade e destrutibilidade da natureza. E, ainda hoje, Ela é percebida como um arquétipo no inconsciente coletivo.
As deusas diferem uma da outra. Cada uma delas têm traços positivos e outros negativos. Seus mitos mostram o que é importante para elas e expressam por metáfora o que uma mulher que se assemelha a elas deve fazer. Todas estão presentes no interior de cada mulher. Quando diversas deusas disputam o domínio sobre a psique de uma mulher, esta precisa decidir que aspecto de si própria expressar e quando expressá-lo.
Infelizmente o triunfo dos tempos modernos tornou-se o triunfo do cristianismo e de um Deus Pai Único e Supremo. Os cultos à Grande Deusa Mãe foi se tornando disperso, suprimido e distorcido. A maioria das civilizações atuais, tornaram-se filhas de uma família divorciada. Agora vivem apenas o Pai e estão proibidas de mencionar o nome da Mãe ou de qualquer lembrança sutil daquelas épocas alegres e amorosas em que se vivia em seus braços e na segurança de seu caloroso colo. Tendo apenas o Pai para nos orientar, nós, a despeito de seu amor, tornamo-nos endurecidos, implacavelmente heróicos e severamente puritanos ao tentar esquecer a segurança perdida e a confiança sensual na terra que outrora a Mãe nos proporcionava.
Nos quatros cantos do mundo, porém mais proeminente nos países ocidentais, estamos testemunhando um discreto redespertar do feminino, uma sublevação profunda no âmago da consciência das mulheres. Muitos homens temem e contestam este processo, outros entretanto sentem-se desafiados e estimulados. Observadores mais radicais denominaram este movimento como o "Retorno da Deusa", porque ele parece sugerir a própria antítese da sociedade patriarcal.
É urgente que compreendamos a natureza e a condição dos arquétipos femininos que estão despontando do inconsciente coletivo da nossa cultura. Os sonhos e as experiências interiores de homens e mulheres, temas tratados por romancistas e pela mídia do mundo inteiro, ressaltam imagens ao mesmo tempo antigas (mitológicas), mas radicalmente novas do feminino que vão chegando à consciência. Estas formas estão fermentando dentro de nós, sendo capazes de transformar os modos mais fundamentais de pensarmos sobre nós mesmos. Essas poderosas forças interiores e as imagens e mudanças que provocam são denominadas "DEUSAS".

por Gaia Lil

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Dia de Santa Sara


O dia de Santa Sara, padroeira dos ciganos, é comemorado em 24 de maio em todo Brasil e na Europa (especialmente na cidade de Saintes Maries de La Mer, no Sul da França). Nesta data, é realizada a grande festa em louvor a Santa Sara. No dia 25 também são homenageadas outras duas santas muito queridas pelos ciganos: Salomé e Jacobina.

Sara está ligada a história das tradições cristãs da idade média e nunca foi canonizada pela igreja católica, restringindo-se a uma santa de culto local.

Não se sabe realmente a razão exata que levou o povo cigano a eleger Santa Sara como sua padroeira, mas é ela que é a mais venerada e é a ela que levam os seus pedidos e súplicas.

Há duas lendas que envolvem Sara. Uma delas conta que ela fazia parte dos grupos de cristãos que fugiram da perseguição de Roma e atravessaram os mares em uma embarcação saindo da Palestina. Sara era uma serva, de pele cor de azeitona, que acompanhava os cristãos desta embarcação, onde estavam Maria mãe de Jesus, Maria Salomé, Jacobina, Salomé, Tiago, João, Lázaro entre outros. Dizem que esta embarcação se aportou numa ilha pequena há alguns quilômetros a leste do Pétit-Rhône, onde hoje é a pequena cidade Saintes Maries de La Mer, na região da Provença. Santa Sara foi a primeira a ser convertida ao cristianismo ao ter morrido a serviço de suas companheiras de viagem.

Já uma outra versão afirma que Sara já habitava a Camargue quando os cristãos lá chegaram, e que ela ofereceu ajuda a eles.

Os ciganos vêm de toda a Europa e Oriente para esta grande festa do dia 25 de maio. Muitos chegam de carros-reboque, outros em suas carroças bem coloridas, outros de automóveis luxuosos ou em suas caminhonetes. A pequena cidade do litoral da França se torna movimentada e alegre com a chegada dos visitantes. Neste dia os ciganos se encontram e matam as saudades de seus amigos e parentes, comemorando com muita música, dança, comidas e bebidas esta linda festa que se inicia no dia 23 de maio e que segue noite adentro até a madrugada do dia 24.

Há então uma procissão às 15 horas do dia 24, onde a imagem da santa é colocada em um andor e sai da cripta onde se encontra. Neste local ficam todos os pedidos e é ali que são feitas as orações. Da cripta ela é carregada por oito ciganos até as areias da praia. Uma grande multidão segue a procissão, inclusive os padres católicos, que acompanham a santa entoando os seus cânticos religiosos que se misturam com a música dos ciganos e o bater de palmas dos seguidores de Sara.Os cavaleiros da Ordem de São Jorge a protegem dos fanáticos e vândalos. No momento em que chegam à praia e entram com Sara nas águas do mar se faz total silêncio. Levada ao alto, Sara parece viva a contemplar o mar e a sentir o vento em sua face!

Oração à Santa Sara


SARA, SARA, SARA, fostes escrava de José de Arimatéia,
no mar fostes abandonada (pedir para que nada nos abandone: amor, saúde, dinheiro, felicidade...)
teus milagres no mar sucederam e como santa te tornastes,
a beira do mar chegastes e o "CIGANOS" te acolheram,

SARA, Rainha, Mãe dos Ciganos ajudaste
e a ti eles consagraram como sua protetora e mãe vinda das águas.

SARA mãe dos aflitos,
a ti imploro proteção para o meu corpo,
luz para meus olhos enxergarem até no escuro (pedir força para os seus olhos, vidência),
luz para o meu espírito e
amor para todos os meus irmãos: brancos, negros, mulatos,
enfim a todos os que me cercam.
Aos pés de Maria Santíssima, tu, SARA
me colocarás e a todos os que me cercam
para que possamos vencer as agruras que a terra nos oferece.

SARA, SARA, SARA,
não sentirei dores nem tremores,
espíritos perdidos não me encontrarão
e assim como conseguistes o milagre do mar,
a todos que me desejarem mal,
tu com as águas me fará vencer (quando a pessoa não está bem e querendo resolver algo muito importante beber três goles de água).

SARA, SARA, SARA,
não sentirei dores nem tremores,
continuarei caminhando sem para assim
como as caravanas passam, no meu interior tudo passará
e a união comigo ficará e,
sentirei o perfume das caravanas que passam
deixando o rastro de alegria e felicidade,
teus ensinamentos deixarás.

Amai-nos SARA,
para que eu possa ajudar a todos que me procurem,
ajudados pelos poderes de nossos irmãos Ciganos,
serei alegre e compreensivo(a) com todos os que me cercam.
Corre no Céu, corre na Terra, corre no Mundo e
SARA, SARA, SARA estará sempre na minha frente,
sempre atrás, do lado esquerdo, do lado direito.

E assim dizemos:
somos protegidos pelos Ciganos e pela SARA
que me ensinará a caminhar e perdoar.

Reze 3 Ave Marias (1ª para SARA, 2ª para os Ciganos e a 3ª para você)

sábado, 22 de maio de 2010

A Bandeira Cigana


A Bandeira como está foi instituída como símbolo internacional de todos os ciganos do mundo no ano de 1971, pela International Gypsy Committee Organized, no First World Romani Congress( primeiro congresso mundial cigano), realizado em Londres.

Seu significado:
A roda vermelha no centro simboliza a vida, representa o caminho a percorrer e o já percorrido, a tradição como continuísmo eterno, se sobrepõe ao azul e ao verde com seus aros representando a força do fogo, da transformação e movimento.

O azul:
Representa os valores espirituais, a paz, a ligação do consciente com os mundos superiores, significando a libertação e a liberdade.

O verde:
Representa a mãe natureza, a terra, o mundo orgânico (subterrâneo), a força e a luz do crescimento vinculado com as matas, com os caminhos desbravados e abertos pelos ciganos. Representa o sentimento de gratidão e respeito pela terra, o que ela nos oferece, de preservação pela natureza. Simboliza também a relação de respeito por tudo que ela nos oferece proporcionando a sobrevivência do homem e a obrigação de ser respeitada pelo homem que dela retira seus suprimentos, devendo mante-la defesa.

Destarte é claro hoje que o povo cigano foi vítima de preconceitos injustos e sem fundamento, em vista de seus hábitos de vida, roupagens e cerimoniais, entretanto, jamais se teve notícias de que houvessem provocado qualquer desajuste social ou entre nações ou deles participado, pela sua própria característica de ser um povo alegre, festeiro, amante da natureza e altivo, um povo orgulhoso de sua raça a ponto de contagiar aqueles não ciganos com sua graça e simpatia. Um povo que ao longo do tempo demonstrou muita sabedoria e união, caso contrário não os teríamos ainda presentes entre nós

Vítimas de perseguição e injustiças destaca-se entre elas o ocorrido na segunda guerra mundial, onde milhares de ciganos foram recolhidos aos campos de concentração e desapareceram, acreditando-se que muito embora não se tenha dados fidedignos de números e quantidades, deve estar em torno ou por volta de dois milhões de ciganos desaparecidos na ocasião

Hoje já se tem no Brasil a exemplo da Europa e do mundo o Instituto de Defesa dos Direitos da Etnia Cigana entre outros, que pretende agregar os Irmãos ciganos e não ciganos na compreensão de se fazer valer os direitos e garantias atinentes ao Povo Cigano, desejando combater pacifica e legalmente a discriminação, preconceitos e assim por diante. Bem como promover uma melhor comunicação e conhecimento a respeito, reivindicando benefícios e direitos em geral.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

FADA VERDE


A Fada Verde possui a força vital, vegetativa e feminina, que faz com que a raiz da planta rompa uma pedra, que os juncos dobrem com o vento e que a árvore suporte a tormenta.
Ela gosta de dançar à luz da Lua e te ensina a sacudir a poeira, dar a volta por cima e seguir em frente ao encontro de teu verdadeiro crescimento.

Ela fala que onde o solo é fértil, algo pode crescer.

E, pede que tu estejas sempre em contato com a terra, que a mantenha fértil, bem regada e que preste atenção ao que ali cresce.

Depende de ti erradicar o que não quer e alimentar o que quer.
Porém, ela te diz que deves correr riscos, que deves plantar sementes novas e desconhecidas para ver em que se convertem.

Observe-as de perto, pois algumas dessas sementes podem ser transformarem -se em pequenos milagres que modificarão tua vida.
A Fada Verde te fala que este é o momento de potencializar o crescimento dos teus talentos e habilidades, um tempo de florescimento que produzirá muitos frutos.

Ela também te faz recordar que a recompensa que te espera mais adiante, será a colheita das sementes que plantou e cuidou.
Tanto no mundo das fadas como no mundo dos humanos temos que crescer ou morrer. Jamais podemos ficar imóveis.

RITUAL:
Cultive qualquer tipo de planta em sua casa e observe atentamente seu crescimento.
Seus pedidos em nome da fada verde devem ser enterrados na terra (do vaso) na época da floração da plantinha.

Povo do Oriente


O Povo do Oriente. São muito discretos em sua forma de se apresentar e trabalhar, e estas formas mudam de acordo com a religião ou local em que irão atuar. São espíritos de grande conhecimento, seriedade e elevação espiritual. Alguns deles não demonstram muito sentimento, mas mesmo assim têm muita vontade de ajudar ao próximo, com o tempo tendem a evoluir também para um sentimento maior de amor ao próximo.

São extremamente práticos não aceitando conversas banais ou ficar se estendendo a assuntos que vão além de sua competência ou nos quais não podem interferir, pois não são guias de consulta no sentido ao qual estamos habituados na Umbanda.
Para se ter uma idéia melhor, sua consulta seria o pólo oposto à consulta com um Preto Velho. Normalmente os pretos velhos dão consultas longas, cheias de ensinamentos de histórias, apelando bem para o lado emocional. Já os Mentores de Cura, se dirigem ao raciocínio, buscam fazer o encarnado compreender bem as causas de suas enfermidades e a necessidade de mudança nessas causas, bem como a necessidade de seguirem à risca os tratamentos indicados. Quando precisam passar algum ensinamento o fazem em frases curtas e cheias de significado, daquelas que dão margem à longas meditações.
São espíritos que quando encarnados foram: Médicos, Enfermeiros, Boticários, Orientais (que exercem sua própria medicina desde bem antes das civilizações ocidentais), Religiosos (monges, freis, padres, freiras, etc.), ou exerceram qualquer outra atividade ligada a cura das enfermidades dos seres humanos, seja por métodos físicos, científicos ou espirituais.

Oração de Santa Sara


Sara, Sara, Sara…

Foste escrava de Jose de Arimateia

No mar foste abandonada (pedir para que nada nos abandone: amor, dinheiro, felicidade, saúde, etc).

Seus milagres no mar se sucederam

E como Santa te tornastes, a beira do mar chegastes e os ciganos te acolheram.

Sara, rainha, mãe dos Ciganos, ajudastes e a ti eles consagraram como sua protetora e mãe vinda das águas.

Sara, mãe dos aflitos.

A ti imploro proteção para o meu corpo

Luz para meus olhos enxergarem ate no escuro (pedir para os seus olhos vidência)

Luz para o meu espírito e amor para todos os meus irmãos: brancos, negros e mulatos, enfim a todos os que me cercam.

Aos pés de Maria Santíssima tu, Sara, me colocaras e a todos que me cercam, para que possamos vencer as agruras que a Terra oferece.

Sara, Sara, Sara, não sentirei dores nem tremores, espíritos perdidos não me encontrarão e assim como conseguistes o milagre do mar, a todos que me desejarem mal, tu com as águas me fará vencer (quando a pessoa não estiver bem e quiser resolver algo muito importante, deve beber 03 goles de água).

Sara, Sara, Sara, não sentirei dores nem tremores.

Continuarei caminhando sem parar assim como as caravanas passam, no meu interior tudo passara e a união comigo ficara e sentirei o perfume das caravanas que passam deixando o rastro de alegria e felicidade, teus ensinamentos deixaras.

Amai-nos Sara, para que eu possa ajudar a todos que me procuram, ajudados pelos poderes de nossos irmãos ciganos.

Serei alegre e compreensiva com todos que me cercam.

Corre no céu, corre na terra, corre no mundo e Sara, Sara, Sara, estarás sempre na minha frente, sempre atrás, ao lado direito e ao lado esquerdo e assim dizemos: Somos protegidos pelos ciganos e pela Sara que me ensinara a caminhar e a perdoar.

Oração Cigana para o Amor


Salve a Rainha Cigana do Povo do Oriente!
Salve todas as forcas da Natureza: o fogo, a água, o ar e a terra.
Salve toda semente que brota no seio da terra, as flores e os frutos benditos.
Salve o calor do Sol e a luz mágica da Lua.
Em nome de todas essas energias poderosas, rogo com toda humildade para que o cigano (ver o zodíaco cigano) ilumine os caminhos de (fulano) no trabalho, no amor e na saúde.
Rogo ao cigano (…) que leve a minha imagem, o meu amor, o meu nome e o meu coração ao coração de (fulano).
Cigano (…), não permita que (fulano) se afaste de mim.
Faca com que nosso amor floresça, que de frutos, que brilhe como o sol e seja poderoso e encantador, como a mágica luz da lua.
Que a magia do povo cigano, com toda forca do bem, afaste de nos dois toda a maldade e toda inveja e nos uma dentro do circulo dourado da paz, da harmonia e da felicidade de um amor eterno.
Eu (fulana), agradeço de coração a Rainha Cigana do Povo do Oriente e a todas as forcas da Natureza.

Oração da Força Cosmica


Eu me uno às Forças Cósmicas no Grande e Eterno Ciclo, que tudo pode e que tudo é. EU sou tudo. Grandes Forças Cósmicas, descei sobre a minha alma e tornai-me poderoso. Eu vos agradeço, minhas Grandes Forças Cósmicas, e vos entrego meu amor e minha força.

A Grande Invocação-Esoterica


Que desde um ponto da mente do Criador desça a Luz até á mente dos homens.

Desde um ponto no coração do Criador, desça o amor ao coração dos homens.

Que o plano manifestado se cumpra e concretize neste momento e seja estabelecida a felicidade e irmandade entre os homens.

Que se abram as portas deste Universo e desça a energia mais poderosa e pura, a energia Cristica e nos perfume com a sua inocência.

Que todos os Magos acendam as suas luzes e as dirijam através do seu diamante interior, para todos os locais do mundo onde haja obscuridade.

Que o Sol e o brilho da magia se expanda e flua por todo o mundo, e que o seu esplendor ilumine todos os locais onde haja obscuridade.

A vida é o caminho, que todos aproveitem a oportunidade que lhes foi dada nesta prenda tão maravilhosa. A vida é uma valiosa possibilidade que podemos aproveitar, despertando a nossa criatividade e o nosso potencial humano, activando o nosso mago interior.

Que o nosso mago interior possa ser despertado, através da nossa purificação na ribeira viva do entendimento e da libertação.

Que assim seja

Façam esta oraçao com toda a dedicaçao e concentraçao que puderem, ela é muito poderosa!!!
LUZ HAMONIA

terça-feira, 18 de maio de 2010

Fascinante para mim é...


Fascinante para mim é...
Ter esperanças no amanhã, saber que após a noite vem o dia.
Viver intensamente as emoções, pular de alegria...
Não invadir o espaço alheio, ser espontâneo, apreciar o nascer e o pôr-do-sol, amar as pessoas incondicionalmente.
Aproveitar todos os momentos, vencer a depressão, confiar na voz da intuição, perdoar as pessoas, estimular a criatividade, não se prender com detalhes, brincar como uma criança, chorar de felicidade.
Ter pensamentos positivos, respeitar os sentimentos dos outros, rir sozinho, saber trabalhar em equipa, ser sincero, encontrar a felicidade nas pequenas coisas, entender que somos pessoas únicas.
É dançar sem medo... não se apegar a bens materiais, respirar a brisa do mar, ouvir a melodia suave de uma fonte, observar a natureza, adorar um dia de chuva.
Fascinante para mim é...
Ter motivação!
Ver além das aparências, descobrir que precisamos uns dos outros, esquecer o que já passou, procurar novos horizontes, perceber que somos humanos, vencermo-nos a nós mesmos, ver a beleza da alma, vencer a passividade.
Saber que a vida é consequência das nossas atitudes, mimar a criança interior, deixar acontecer..., praticar a humildade, adorar o calor humano
Saborear as pequenas vitórias, viver apaixonado pela vida, visualizar só coisas boas, entender que há limites, ver a vida com outros olhos, ter pensamentos positivos, ter auto – estima, colocar a sua energia positiva em tudo o que realizar, só se arrepender do que não fez.
Dormir feliz, emanar vibração de amor, saber que estamos só de passagem, melhorar os relacionamentos, aproveitar as oportunidades.
Fascinante para mim é...
Ouvir o coração...
ACREDITAR NA VIDA!
(Autor desconhecido)

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Discussões


Hora de aborrecimento ou desagrado – tempo de silêncio e de oração.
Esclarecer, analisar, observar, anotar, mas toda vez que o
azedume apareça, mesmo de longe, deixar a conversação ou o
entendimento para depois.
Discutir, no sentido de questionar ou contentar, é o mesmo que
atirar querosene à fogueira.
Sempre que nos adentramos na irritação, a tomada de nosso
pensamento se liga, de imediato, para as áreas da perturbação ou da
sombra. Então, a palavra se nos debita na conta do arrependimento,
porque facilmente exageramos impressões, esposamos falsos julgamentos,
provocamos reações negativas ou magoamos alguém sem querer. E o pior
de tudo isso é que as rupturas nas relações harmoniosas do lar ou do
grupo fraterno principiam de bagatelas semelhantes às brechas
diminutas pelas quais se esbarrondam vigorosas represas, criando as
calamidades da inundação.
Saibamos tolerar os dissabores e contratempos da vida,
arredando-os do cotidiano, como quem alimpa um campo minado.
Aceitemos a reclamação alheia, paguemos o prejuízo que nos seja
possível resgatar sem maior sacrifício e esqueçamos a frase impensada
ou o gesto de desconsideraçã o tantas vezes involuntários com que nos
hajam ferido.
Nunca valorizar ocorrências desagradáveis ou futilidades que
pretendam tisnar-nos o otimismo.
Há quem diga que da discussão nasce a luz. É provável seja ela,
em muitos casos, um fator de discernimento, quando manejada por
espíritos de elevada compreensão”; no entanto, em muitos outros, nada
mais faz que apoiar a discórdia e apagar a luz.

domingo, 16 de maio de 2010

Sagrada Mãe Terra


"A vossa Mãe esta em vós e vós estais nela. Foi Ela quem vos concebeu e quem vos deu a vida. É graças a Ela que vós vos beneficiais do vosso corpo, e é para junto d'Ela que devereis retornar um dia. Felizes sereis vós quando chegardes a conhecê-la, Ela e seu reino, quando receberdes os anjos de vossa Mãe e quando observardes as suas leis.

O sangue que corre em vossas veias procede de nossa Mãe, a Terra. Seu sangue cai das nuvens, brota do seio da Terra, murmura nos riachos das montanhas, corre abundantemente nos rios das planícies, dorme no fundo dos lagos e ruge, com força, nos mares tempestuosos. O ar que respiramos nasceu do sopro de nossa Mãe, a terra. Seu sopro é azulado nas alturas dos céus... sussurra através das folhas da floresta eleva-se como uma onda sobre os campos de trigo, adormece nos vales profundos, queima tórrido no deserto.

Eu vos digo, em verdade, o homem é o filho da Mãe, a Terra, e é d'Ela que o filho do homem deve receber a totalidade do seu corpo, da mesma forma que o corpo do recém nascido procede do seio de sua mãe. Em verdade, eu vos digo, vós sois um com a Mãe, a Terra; Ela está em vós e vós estais n'Ela. Foi dela que nascestes, por Ela que deveis viver e, para Ela, enfim, deveis retornar. Eis porque deveis guardar as suas leis, porque ninguém pode viver longos anos nem ser feliz a partir do momento em que não honre a sua Mãe e nem respeite as suas leis. Pois vosso sopro é seu sopro; Vosso sangue, seu sangue; Vossos ossos, seus ossos; Vossa carne, sua carne; Vossas entranhas, suas entranhas; Vossos olhos e vossos ouvidos, seus olhos e seus ouvidos."

JESUS (O evangelho da Paz de Jesus Cristo, pelo discípulo João) A nossa sagrada Mãe terra esta sendo destruída pela ganância do homem, que dissociado de sua paternidade divina e maternidade terrena, esqueceu que faz parte da natureza, como nos diz o grande chefe Seatle: não tecemos a teia da vida, somos um fio desta teia, e tudo o que fizermos para esta teia é a nós mesmos que estamos fazendo, se o homem cospe na terra esta cospindo em si mesmo, tudo está interligado. Nós homens nos esquecemos quem somos e através deste esquecimento é que foi sendo criada a ilusão da separação, isto tornou o homem insensível aos pedidos de socorro da mãe natureza.


"Honra tua Mãe Terrena para que os teus dias sejam longos sobre a terra, e honra teu Pai Celestial, para que a vida eterna seja tua nos céus, pois o céu e a terra te são dados pela lei, que é o teu Deus".
Livro essênio de Moisés

O que é importante na vida?


A vida não é um placar. O importante não é quantas pessoas telefonam para você, nem com quem você saiu ou está saindo. Também não importa se você nunca namorou ninguém. O importante não é quem você beijou, que menino ou menina gosta de você. O importante não são seus sapatos, nem seus cabelos, nem a cor da sua pele, nem onde você mora, qual a sua religião, que esporte pratica ou o colégio que frequenta. Na verdade, o importante não são suas notas, seu dinheiro, suas roupas ou se passou ou não para a faculdade. Na vida, o importante não é ser aceito ou não pelos outros, não é ter muitos amigos ou estar sozinho. Na vida, nada disso é importante.
O importante na vida é quem você ama e quem você fere. É como você se sente em relação a você mesmo. É confiança, felicidade e compaixão. É ficar do lado dos amigos e substituir o ódio por amor. O importante na vida é evitar a inveja, não querer o mal dos outros, superar a ignorância e construir a confiança. É o que você diz e o siginificado de suas palvras. É gostar das pessoas pelo o que elas são e não pelo que têm. Acima de tudo, é escolher usar a sua vida para tocar a vida de outra pessoa de um jeito que a fará mais feliz. É acreditar em Deus.

O importante na vida são suas escolhas!

"Quanto mais eu choro, mais eu amadureço e aprendo. Aprendo que sinais de fraqueza são necessários para se tornar forte. Fortes guerreiros, os que são tidos como heróis, também choram, porque a vida é amarga e dolorida, mas também é embriagada, nessas lágrimas, de risos e felicidade.Basta a quem quiser, amar. E quem ama, chora.”

Antiga Benção Celta


" Que o caminho venha ao teu encontro.

Que o vento sopre sempre às tuas costas,
e a chuva caia suave sobre o teu campo.
e até que voltemos a nos encontrar,
que Deus te sustente suavemente
na palma de
Sua mão.

Que vivas todo o tempo que quiseres,
e que sempre vivas plenamente.

Lembra sempre de esquecer as coisas que te
entristeceram, e não esqueça de se lembrar das
coisas que te alegraram.

Lembra sempre de esquecer os amigos que se
revelaram falsos, mas nunca deixes de lembrar
daqueles que permaneceram fiéis.

Lembra sempre de esquecer os problemas que já
passaram, mas não deixes de lembrar das bençãos
de cada dia.

Que o dia mais triste do teu futuro, não seja pior
que o mais feliz do teu passado.

Que o teto nunca caia sobre ti,
e que os amigos debaixo dele nunca partam.

Que sempre tenhas palavras cálidas em um
anoitecer frio,
uma lua cheia em uma noite escura,
e que um caminho se abra sempre à sua porta.

Que vivas cem anos, com um ano extra para
arrepender-te.

Que o Senhor te guarde em Suas mãos,
e não aperte muito Seus dedos.

Que teus vizinhos te respeitem,
que os problemas te abandonem,
os anjos te protejam,
e o céu te acolha.

E que a sorte das colinas celtas te abrace.

Que as bençãos de São Patrício te contemplem.

Que teus bolsos estejam pesados,
e o teu coração leve.

Que a boa sorte te persiga, e a cada dia e cada noite tenhas um muro contra o vento, um teto para a chuva, bebida junto ao fogo, risadas que consolem aqueles a quem amas, e que teu coração se preencha com tudo o que desejas.

Que Deus esteja contigo e te abençoe,
que vejas os filhos dos teus filhos,
que o infortúnio te seja breve e que te deixe cheio de bençãos.

Que não conheças nada além da felicidade
deste dia em diante.

Que Deus te conceda muitos anos de vida.

Com certeza Ele sabe que a Terra não tem anjos suficientes.

E assim seja a cada ano, para sempre !"

RITUAL À CERIDWEN


Cerridwen está relacionada ao renascimento e a ligação com os outros mundos. Seus rituais são realizados na Lua Minguante, que é seu símbolo. Sua cor é o negro e por isso recebe o título de NIGREDO, Senhora da Noite. Para realizar seu ritual e dar boas vindas à lua minguante você vai precisar de :

1 Vela Branca

1 Vela Vermelha

1 Vela Preta

O Caldeirão com Água

A Taça com Água

O Athame

Folhas de Louro ou Eucalipto

Disponha as 3 velas em forma de triângulo sobre o altar de forma que a preta fique a esquerda, a branca a direita e a vermelha no topo do triângulo, coloque o caldeirão no meio do triângulo formado pelas velas, coloque a taça abaixo do triângulo de velas então chame por Ceridwen :

Oh antiga Deusa que reside no Norte
aquela que conhece o passado de todas as coisas,
ouça o meu chamado e que
minha invocação seja agradável aos seus olhos,
Oh Nigudo senhora da sabedoria e compreensão.
Ceridwen Mãe Celeste que a Lua Minguante
seja bem vinda e que seus poderes de exterminar
com todas as coisas negativas se espalhe sobre o mundo,
transmutando os Karmas,
solucionando os problemas,
curando as doenças,
afastando as intrigas,
a inveja, os obstáculos e
problemas que nos impedem de chegar a plena felicidade.
Oh Deusa da Inspiração e Criação,
venha em nosso auxílio!

Espalhe as folhas de louro ou eucalipto sobre o altar coloque o athame em cima das mesmas dizendo:

Mãe do caldeirão sagrado que sua face minguante seja bem vinda a este mundo para que tenhamos paz, saúde e bons presságios.

Que assim seja e que assim se faça para o bem de todos.

Rosane Volpatto

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Reverência a todas as faces femininas


Mulheres plenas e luminosas...
Pétalas de Rosas...
Lua Nova, Crescente, Cheia e Minguante,
Mistério, Donzela, Mãe e Anciã
Chama ardente
Em seu ventre dançante
Um poço de memórias

Memórias de ancestrais
De teu Vente,

Oh! Divina Deusa Mãe
Desperta a aurora da Vida
Curandeiras, parteiras,
O espiral em eterno movimento

Dançarinas, fadas belas e sereias
O êxtase, a realização da natureza, a magia da Vida

Deusa de muitos nomes
Gaia, Isis, Maria, Inanna, Demeter, Afrodite...
Simplesmente DEUSA, eternamente MULHER!

Em simples e carinhosas palavras quero lembrar e enaltecer a todas nós mulheres não apenas por ser o Dia Internacional da Mulher, celebrado anos após anos nos canais de mídia, mas quero enaltecer e reverenciar ainda a Essência Divina presente em cada MULHER!

As que se foram e as que virão...
Apelo direito de sermos mulheres, pelo direito de expressão, pelo direito de amar e de serem amadas!
As mulheres que ainda lutam , calam, sofrem, cantam e dançam...
Como fadas ao vento!

Em nome de todas as lágrimas que viraram adubo para Grande Deusa Terra, em nome dos risos enlouquecidos de êxtase e amor, em nome dos pés descalços no Solo Sagrado.

Em nome de todas as Tendas Vermelhas, Tendas da Lua onde mulheres ofertaram e ainda oferta seu sangue menstrual para Terra em gratidão a Vida!

As meninas, mães, anciãs, deusas...
Fadas, sereias, bruxas, feiticeiras, parteiras, bailarinas, sacerdotisas, agentes de transformação, encantadoras de estórias, tocadoras de cantos e encantos, dançarinas do fogo, do vento, da terra e das águas!

Reverencio e enalteço a nós mulheres, que somos o elo essencial da mutação vida-morte- renascimento, que ensinamos os ciclos da vida, como o movimento do grão de areia que voa com o vento, com a sabedoria dos antigos rituais, tecendo a trama da energia em todas as nossas manifestações.
É através do nosso Útero Sagrado que trazemos a vida a este mundo e é através da mulher Sagrada que habita dentro de nós que chegamos a Divindade.

Reverencio as antigas sacerdotisas e seus templos de todas as tradições e culturas, que se uniam a divindade por meio da sexualidade sagrada.
As sacerdotisas que dedicavam sua vida ao Culto da grande Mãe, a transmissão de sábios e misteriosos conhecimentos da magia e de sua arte intimamente conectada a Natureza e todos os seus ciclos.

Em nome da minha Divina Essência Sagrada, em nome do Céu, em nome da Terra, em nome das águas do grande Oceano onde tudo nasce, em nome da mais nova semente e da mais antiga árvore, em nome do fogo do Sol que tudo aquece, em nome da brisa que encanta, em nome das antigas Deusas e Deuses, em nome do espírito de todos os ancestrais, agradeço a todas nós Mulheres maravilhosas, pela única e divina essência de cada uma, pelo amor incondicional, pelo carinho maternal, pela coragem e ousadia em Ser Simplesmente MULHER!

Que em simples palavras possamos alcançar gandes corações...
A Velha enquanto jovem...
A Jovem enquanto sábia...

Germine os seus sonhos no vaso sagrado do seu coração, regue-os com a água que emana de todas as formas de amor, encontre um lugar na sua vida para que essas sementes criativas possam fazer parte da sua realidade, florescendo em horizontes que se descortinarão em doces e prósperos amanhãs, transmutados, como que por encanto, em "hojes repletos de flores"!!!

Feliz Vida a cada Ser....
Feliz Vida Circular de Cada Mulher...

Soraya Mariani

Oração do perdão


Buscando eliminar todos os bloqueios que atrapalham minha evolução, dedicarei alguns minutos para perdoar.
A partir deste momento, eu perdôo todas as pessoas que de alguma forma me ofenderam, injuriaram, me prejudicaram ou me causaram dificuldades desnecessárias. Perdôo, sinceramente, quem me rejeitou, me odiou, me abandonou, me traiu, me ridicularizou, me humilhou, me amedrontou, me iludiu.
Perdôo, especialmente, quem me provocou até que eu perdesse a paciência e reagisse violentamente, para depois me fazer sentir vergonha, remorso e culpa inadequada. Reconheço que também fui responsável pelas agressões que recebi, pois várias vezes confiei em indivíduos negativos, permiti que me fizessem de bobo e descarregassem sobre mim seu mau caráter.
Por longos anos suportei maus tratos, humilhações, perdendo tempo e energia, na tentativa inútil de conseguir um bom relacionamento com essas criaturas.
Já estou livre da necessidade compulsiva de sofrer e livre da obrigação de conviver com indivíduos e ambientes tóxicos. Iniciei agora, uma nova etapa de minha vida, em companhia de gente amiga, sadia e competente: queremos compartilhar sentimentos nobres, enquanto trabalhamos pelo progresso de todos nós.
Jamais voltarei a me queixar, falando sobre mágoas e pessoas negativas.
Se por acaso pensar nelas, lembrarei que já estão perdoadas e descartadas de minha vida íntima definitivamente.
Agradeço pelas dificuldades que essas pessoas me causaram, pois isso me ajudou a evoluir, do nível humano comum ao nível espiritualizado em que estou agora.
Quando me lembrar das pessoas que me fizeram sofrer, procurarei valorizar suas boas qualidades e pedirei ao Criador que as perdoe também, evitando que elas sejam castigadas pela lei da causa e efeito, nesta vida ou em futuras.
Dou razão a todas as pessoas que rejeitaram o meu amor e minhas boas intenções, pois reconheço que é um direito que assiste a cada um me repelir, não me corresponder e me afastar de suas vidas.

(Fazer uma pausa, respirar profundamente algumas vezes, para acúmulo de energia).

Agora, sinceramente, peço perdão a todas as pessoas, a quem, de alguma forma, consciente e inconscientemente, eu ofendi, injuriei, prejudiquei, ou desgradei. Analisando e fazendo julgamento de tudo que realizei ao longo de toda a minha vida, vejo que o valor das minhas boas ações é suficiente para pagar todas as minhas dívidas e resgatar todas as minhas culpas, deixando um saldo positivo a meu favor.
Sinto-me em paz com minha consciência e, de cabeça erguida, respiro profundamente, prendo o ar e me concentro para enviar uma corrente de energia destinada ao Eu Superior.
Ao relaxar, minhas sensações revelam que este contato foi estabelecido.
Agora dirijo uma mensagem de fé ao meu Eu Superior, pedindo orientação, proteção e ajuda, para a realização, em ritmo acelerado, de um projeto muito importante que estou mentalizando e para o qual já estou trabalhando com dedicação e amor.
Agradeço de todo o coração, a todas as pessoas que me ajudaram e comprometo-me a retribuir trabalhando para o bem do próximo, atuando como agente catalisador do entusiasmo, prosperidade e auto-realização.
Tudo farei em harmonia com as leis da natureza e com a permissão do nosso Criador, eterno, infinito, indescritível que eu, intuitivamente sinto como o único poder real, atuante dentro e fora de mim.

Assim seja, assim é e assim será.

Danu, a Grande Mãe irlandesa


“No início havia o Vazio, a vastidão do Nada,
a supremacia da criatividade não-diferenciada
Do vazio nasceu o Caos,
Da união entre o vazio e o caos originou-se Ana,
a Grande Sonhadora, Criadora e Tecelã dos mundos,
em cujo ventre fértil resplandeciam estrelas e planetas.
Da união entre o Sonho e o nosso Sol
foram criados a Mãe Terra, o Pai Céu,
o oceano, os ancestrais primevos.
Do encontro entre o Céu e a Terra surgiram os Seres Brilhantes,
os Dakinis e os Dakas que trouxeram a luz ao mundo.

E do ventre de Ana, tocado pela luz das Plêiades,
nasceram os Tuatha de Danann,
o povo da deusa Danu”

Divindade suprema do panteão celta, mãe dos deuses e dos homens.
É a mãe celeste que dança na espiral das estrelas, é a fonte de onde nasceu aquele povo antigo, que trouxe o druidismo à terra das esmeraldas.

Também conhecida como Danu, é a maior Deusa Mãe da mitologia celta.
Seu nome "Dan" significa conhecimento, considerada a senhora da luz e do fogo.
Há várias interpretações para seu nome, algumas são: "Terra molhada", e uma das mais poéticas: "Água do Céu".
É a Deusa da fertilidade.
Era ela que garantia a segurança material, a proteção e a justiça.
Seu símbolo mágico é o bastão

Deusa da prosperidade e da abundancia.
Garante a seus filhos segurança material e justiça. Deusa Tríplice estelar governava muitas tribos.

Deusa da prosperidade e abundância.
Os celtas acreditavam que dava muito azar emprestar ou pedir dinheiro emprestado, por prejudicar os influxos da prosperidade.
Uma antiga, mas eficaz simpatia mandava congelar uma moeda, fazendo um encantamento para proteger os ganhos e evitar os gastos.

Os 10 decretos do Arcanjo Miguel


1. Renuncio a quaisquer expectativas relativas à minha evolução e progresso espiritual. Vivo no momento em cada dia, concentrando-me no objetivo de restabelecer a harmonia e o equilíbrio do meu corpo, do meu espírito, das minhas emoções e do todo com o meu Eu Superior.
2. Anulo todos os acordos feitos com a minha mãe, pai, filhos, enteados, marido (ou mulher), ex-mulher (ou ex-marido) ou quaisquer outras pessoas que me possam reter na terceira dimensão.
3. Renuncio a todos os conceitos inválidos sobre o meu valor, a minha percepção do amor, da alegria, da paz, da segurança, da harmonia, da abundância, da criatividade, da vitalidade, da juventude, da saúde e do bem-estar, da velhice e da morte.
4. Renuncio à necessidade de querer salvar o mundo ou qualquer ser humano que nele se encontra. Tenho consciência de que a minha missão é aceitar a minha mestria e viver sendo um exemplo de vida e de amor sem esperar nada em troca de ninguém.
5. Liberto-me de todos os preconceitos e memórias celulares quanto ao meu corpo físico. Reivindico o meu direito divino à beleza, vitalidade, saúde e bem-estar, consciente de que são o meu estado natural e que basta seguir os impulsos do espírito para que essa perfeição se manifeste.
6. Renuncio a quaisquer expectativas quanto à minha criatividade e ao meu trabalho. Trabalho e crio por prazer, ciente que a abundância e os recursos provêm do Espírito e da minha auto-confiança e não apenas do meu esforço.
7. Renuncio a quaisquer condições da terceira dimensão que as instituições governamentais ou afins me queiram impor. Não poderão controlar a minha pessoa, nem a minha abundância ou segurança. Tenho plenos poderes para manifestar a segurança, ser independente e comandar o meu próprio destino.
8. Liberto-me de todos os resíduos e dívidas cármicas, bem como das energias impróprias existentes em mim e no meu corpo físico, emocional e astral. Resolvo todos os condicionamentos com agrado e desembaraço para expandir a luz e me unir aos co-criadores do Paraíso na Terra.
9. Liberto-me de todas as concepções falsas sobre a minha capacidade de alcançar o conhecimento, a sabedoria e as informações pertinentes provenientes do Espírito e das dimensões superiores. Obtenho assim novos conhecimentos, conceitos e sabedoria que me permitem aprender, crescer e servir de exemplo vivo.
10. Renuncio a qualquer juízo, idéia pré-concebida ou expectativa relativamente a outros seres, sabendo que estes se encontram no seu perfeito lugar e evolução. Transmito-lhes Amor e encorajamento e limito-me a oferecer-lhes informações quando as pedirem, tendo o cuidado de lembrar-lhes que a minha verdade pode não ser a deles.

Canalizado por Ronna Herman

FELICIDADE,nossa herança Divina!!!


Refletindo um pouco sobre o que passamos na nossa caminhada, observei várias situações que merecem ser analisadas...
Se formos fazer uma retrospectiva, geralmente as primeiras lembranças que nos vem à mente são, em geral, de aspecto negativo, como uma doença grave, uma mágoa antiga, uma
frustração, etc...
Somos culturalmente educados para sermos humildes...
Só que essa “humildade” faz com que nunca aceitemos o elogio, como por exemplo, quando alguém nos elogia, e nós, humildemente, dizemos:
- Imagina..., bondade sua...
Desse modo refratamos esse elogio, não nos achando merecedores.
Agora, se somos criticados, logo aceitamos como verdadeira essa opinião e prometemos (a nós mesmos) melhorar, mas ao mesmo tempo, nos deprimimos com isso.
Porque nos comportamos assim ?
Talvez por que necessitemos em demasia da aprovação do outro!
Deixamos que a opinião do outro pese muito mais na balança, do que a nossa própria.
Semeamos coisas em nossa vida que não queremos!!!
Convivemos com a insatisfação, para satisfazermos o outro!!
Mas, ao pensarmos assim, negligenciamos as palavras de Jesus, quando disse:
“Amai a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como A SI MESMO!”
Esquecemos que somos a imagem e semelhança de Deus-Pai, e que somos perfeitos na essência.
Esquecemos que só poderemos doar aquilo que temos em abundância dentro de nós.
Se quisermos doar Amor, devemos ter muito Amor, primeiro por nós mesmos, e depois pela humanidade.
Na prática terapêutica, observo como esses conflitos geram doenças nas pessoas e, toda essa introdução, foi para tentar alertar a todos nós, porque é fácil falar, ou melhor, escrever, mas é muito difícil realmente sentir (ou deixar de sentir...)
Voltando ao AMOR...
Aposto que cada um saberia fazer uma lista daquilo que acha que deveria melhorar, seja fisicamente, emocional ou moralmente.
Mas..., conseguimos enumerar nossas virtudes???
Sejam elas de que tipo forem, na nossa vida cotidiana, na nossa aparência, no nosso relacionamento com os colegas de trabalho, na família, etc.
Vamos nos lembrar, Deus nos imaginou como um ser feito à Sua Imagem e semelhança, portanto repleto de atributos divinos e únicos que, (aposto) nós não usamos, nem reconhecemos que possuímos.
Como nós poderemos amar ao próximo, se, com a pessoa mais importante do Universo, que somos nós mesmos, só agimos geralmente nos denegrindo e nos maltratando??
Os antigos orientais, que nos deixaram as bases da Medicina Tradicional Chinesa já nos ensinaram...
O que nós fazemos com a Raiva?
Se for constante, poderá causar problemas no Fígado, na Vesícula Biliar.
Se for muito forte e intensa devido a algum dissabor, poderá levar a uma dor de cabeça muito forte, ou até a um AVC (derrame).
Se nós ficarmos remoendo essa raiva ou estresse, desencadearemos uma bela Gastrite!!
Vejamos bem...
Nem precisamos de inimigos...
Conseguimos o grande feito de nos destruirmos, sem a ajuda de ninguém!!!
Em contrapartida, porque não nos cuidamos?!
Vamos procurar não deixar o exterior influenciar tanto nas nossas emoções.
Vamos perdoar as atitudes dos outros.
Geralmente, não nos compete a mudança dessas atitudes, mas temos a obrigação de olharmos para elas de um modo que não nos afete tanto.
Façamos sempre o melhor ao nosso alcance e poderemos ficar em Paz.
Em relação aos outros...
Cabe unicamente a cada um (e não a nós), a responsabilidade pelo que fazem ou deixam de fazer.
Não nos responsabilizemos pelos outros (a não ser que seja um bebê, que ainda não desenvolveu sua capacidade de caminhar sozinho...).
Também, não se melindre.
Nós respondemos e somos única e exclusivamente responsáveis por nós mesmos.
O dano que causamos em nós agora, repercutirá em nós, num futuro, portanto, prestemos atenção:
Muita mágoa, já ficou comprovado cientificamente, ajuda no processo de manifestação do câncer.
Queremos isso??
Se tivermos uma mágoa, vamos prestar atenção e ponderar:
Toda vez que lembramos da situação que nos magoou, a ferida volta a se abrir, não importando se faz 1 ano ou 50 anos...
Sendo assim, perdoemos a situação, a nos mesmos , e perdoemos o outro.
Se necessário, vamos escrever todos esses sentimentos em relação ao fato, vamos tirar de dentro de nós e colocar tudo no papel...
Depois, vamos queimar essas folhas e observar como nos sentimos mais leves...
Pensemos em tudo isso,
Sempre é tempo de mudarmos para sermos felizes, pois a felicidade é a nossa herança!
Com carinho, muita Luz e Paz

segunda-feira, 10 de maio de 2010

UMA PRECE AO MELHOR DO TEU SER (Com Alma Celta em Coração de Menino)


Que esses escritos levem amor ao teu coração.
Que tudo que é trevoso se afaste de ti.
Que tu te encantes com o presente da vida.
Que tua alma seja curada na luz.
Que teus pensamentos sejam justos.
Que tuas mãos sejam curadoras.
Que teu trabalho te dignifique.
Que tu sejas querido na prece dos outros.
Que teu olhar revele o brilho do Eterno.
Que tu tenhas consciência da Sagrada Presença*.
Que tu vejas algo lindo, mesmo num dia cinzento.
Que tu não deixes passar um grande amor...
Que teu coração seja generoso, como o Sol.
Que teus passos sejam honrados.
Que a perda de alguém querido não te seja um fardo.
Que os reveses de tua vida sejam lições de sabedoria.
Que tu aprecies muitas canções, e te encantes com elas.
Que tu não tenhas medo de amar.
Que tuas emoções não te sejam um peso.
Que tu honres aos teus pais e teus ancestrais.
Que tu sejas um bom exemplo de vida para teus filhos.
Que tu atravesses a vida com assombro e admiração.
Que a chuva lave tuas mágoas e te renove o viver.
Que tu saibas te abrir, para a vida te dizer algo justo.
Que teus lábios estejam sempre fechados para queixumes.
Que, por mais que te atentem, não traias teu coração.
Que tu saibas perdoar, aos outros e a ti mesmo.
Que tu tenhas sabedoria para corrigir teus erros.
Que tu não vejas a cor da pele dos homens, mas a luz neles.
Que o mal não faça morada em teu coração.
Que tu não valorizes aquilo que rebaixa o teu espírito.
Que nada te afaste da luz e do amor verdadeiros.
Que tu estejas sempre num círculo de luz.

Pedido à Deusa


Não Vos peço que me mandes Luz, Senhora.
Quero apenas enxergar a que possuo.

Não Vos peço que elimine as minhas feridas,
Quero apenas saber em que parte de mim
Guardaste o lenitivo para elas, minha mãe,

Não Vos peço que me dês forças,
Quero apenas conhecer o modo
De utilizar o que já me destes.

Não Vos peço poderes, minha Deusa,
Quero apenas empregar os que possuo.

Não Vos peço coragem, Senhora,
Quero apenas dominar os meus temores.

Não Vos peço amor, minha Deusa
Quero apenas a destreza para
Lidar com os meus ressentimentos.

Não Vos peço a verdade,
Quero apenas a consciência de que
Ela existe e está em mim ...

Retirado das andanças pela Net, abençoado seja aquele que teve a sensibilidade de escrevê-lo para que pudéssemos compartilhá-lo.

Muita Luz a todos,

Oração da metade da alma


Oh! Deus,
Sei que existe neste mundo
uma pessoa que Vós estais reservando para mim,
e que é a outra metade da minha alma!

Eu não sei onde essa pessoa se encontra nesse momento, Mas, onde quer que ele (ela) se encontre,
a força magnética do Amor
fará com que nos aproximemos infalivelmente.

Então se dará uma união harmoniosa e abençoada por todos.

Eu Vos agradeço, Deus,
por haverdes criado a outra metade da minha alma e
por estardes providenciando para nos conduzir para um casamento feliz.

Oração da Seicho-no ieOh! Deus,
Sei que existe neste mundo
uma pessoa que Vós estais reservando para mim,
e que é a outra metade da minha alma!

Eu não sei onde essa pessoa se encontra nesse momento, Mas, onde quer que ele (ela) se encontre,
a força magnética do Amor
fará com que nos aproximemos infalivelmente.

Então se dará uma união harmoniosa e abençoada por todos.

Eu Vos agradeço, Deus,
por haverdes criado a outra metade da minha alma e
por estardes providenciando para nos conduzir para um casamento feliz.

Oração da Seicho-no ie

A ROSA COMO SÍMBOLO DO DESEJO ESPIRITUAL DE REALIZAÇÃO DO EU:


A jornada interior pode ser simbolizada pelo desenvolvimento da Rosa na Cruz.
A Rosa é considerada como um dos símbolos desse processo de mudança, isto é, dessa transformação alquímica.
Mas outros símbolos do EU podem ser referidos: o diamante, a flor de lótus,a criança interior, a esfera dourada, a luz branca, etc.
São símbolos maravilhosos.
Eles não querem dizer que se seja um Realizado.
Devem ser tomados como um desejo de ir mais longe.
É uma nova volta na espiral evolutiva.
Analogamente não podemos dizer que uma experiência de Despertar,como uma visão mística, não é o despertar.
É só uma experiência,um encorajamento para a Senda.

A ROSA COMO SÍMBOLO DO "SABER DAR" E "SABER RECEBER"
A Rosa pode ser tomada como um símbolo de Harmonização entre o"saber dar" e o "saber receber".
Esse equilíbrio resulta do movimento entre esses dois componentes:
entre o exterior(saber dar) e o interior (saber receber).
No "saber receber" está subjacente uma energia feminina, que representa a nossa parte mais intuitiva.
Escusado será dizer que tanto para o Homem como para a Mulher as duas energias masculina e feminina fazem parte do nosso psíquico.
No "saber dar" está subjacente a energia masculina, e representa a nossa capacidade de ação no mundo físico.
É esta energia que permite o agir: tem uma função emissiva.
De um modo simples podemos dizer que o Processo Criativo se traduz assim:
O aspecto feminino recebe a energia Criadora Universal.
O aspecto masculino exprime-a no mundo, pela ação.
Reparemos na correspondência simbólica da Rosa com este duplo movimento:
"Saber dar" e "saber receber".
A Rosa possui um núcleo central de onde emanam pétalas(movimento de irradiação), ao mesmo tempo que se reunem em torno deste ponto central (movimento de recepção).
Por um lado as energias vindas do exterior, que passam pelas diferentes pétalas e que são reunidas no centro da Rosa, representam o "saber receber", do exterior para o interior - fenómeno da Interiorização.
Por outro lado as energias que partem do interior, do centro da Rosa, e se difundem através das pétalas, irradiando-se para o exterior, representam o nosso "saber dar", do interior para o exterior- fenômeno da Exteriorização.
Tudo isto é válido para qualquer grupo.
Tudo isto representa ao mesmo tempo a concentração interior e a união com o mundo exterior. Mas. aprofundemos mais estes conceitos do"saber receber" e do "saber dar".

O" SABER RECEBER"
Nem toda a gente sabe estar em receptividade.
Geralmente "reagimos" como doentes de "receber" e muitas são as situações em que temos receio de receber.
Receber presentes, palavras agradáveis, elogios, sinais de amor, são coisas que geralmente as pessoas não conseguem aceitar, tal a visão severa que tem si.
Mas receber é também receber as opiniões diferentes, as proposições novas e até perturbadoras. A maioria das pessoas funciona numa atitude defensiva.
Poucos estão abertos às diferenças, o que explica em parte os problemas da nossa Sociedade ,que se caracteriza por uma enorme intolerância.
A falta de Tolerância é um medo ancestral: UM BLOQUEIO DA ENERGIA DO RECEBER.

O "SABER DAR"
Mas também podemos estar doentes do "saber dar".
Assim como a Rosa pode receber a luz e o calor do Sol sem reservas, do mesmo modo esta Rosa pode dar o seu perfume, a sua irradiação, desinteressadamente , e sem ficar privada do que quer que seja.
Há prazer no "saber dar", mas esse prazer não é calculado, nem tão pouco corresponde a uma estratégia.
O "saber dar" revela uma Forma de Amor.
O "dever" nada tem a ver com o Amor.
Prazer de dar, como ter prazer em receber e vice-versa.
E isto pode ser feito naturalmente.
Isto é: com flexibilidade.
O " saber dar" e o "saber receber" devem ser dois movimentos flexíveis.
Mas este "saber dar" e "saber receber" , o florir da rosa ,

A imagem da Rosa, símbolo da abertura do coração, indica ao Buscador quão importante é para o homem saber amar, a todos os níveis, sendo o Amor Cósmico o mais elevado.
Saber Amar abre muitas portas.
O centro cardíaco é um dos 7 centros psíquicos maiores.
As qualidades psíquicas correspondentes aos centros psíquicos deverão despertar progressivamente, o que quer dizer que esse despertar se deve fazer de forma harmoniosa, na exata medida em que se realiza a evolução espiritual.
Este desenvolvimento harmonioso deverá ser tal que a energia possa fluir normalmente de baixo para cima e de cima para baixo.
O centro cardíaco ocupa um lugar interessante no plano dos 7 centros psíquicos.
De cima para baixo ele é o 4º centro;
de baixo para cima é também o 4º centro.
A sua localização a meio, confere-lhe um papel especial, pois a ABERTURA DO CORAÇÃO favorece o desenvolvimento dos outros 3 centros superiores e tem ao mesmo tempo uma acção aquietadora e harmonizadora sobre os 3 centros inferiores.
São estes 3 centros inferiores que estão exacerbados na nossa Sociedade de hiperconsumismo e de hiperaglomeração emocional.

A ABERTURA DO CORAÇÃO DESENVOLVE O DESEJO ESPIRITUAL DE SE TER UMA RELAÇÃO MAIS ÍNTIMA COM A ALMA.

Assim permite ao Homem que ele compreenda melhor a natureza do Amor.
Quanto mais adentramos na Luz Cósmica mais somos iluminados no interior do nosso Ser, e mais desejamos ajudar os outros e compartilhar com eles essas bases de compreensão, de conhecimento e de revelação mística,que integramos em nós.
Quanto mais essa Comunhão Cósmica se dá, mais podemos amar (sem esforço) naturalmente os outros.
A Abertura do Coração, a Rosa que aos poucos se vai abrindo, ensina-nos a Bondade Interior. Este desenvolvimento pelo fato de estar carregado de Amor, vai muito além do desenvolvimento intelectual.
escrito por Maria Azenha 2003, março, Lisboa

A rosa é a flor de maior simbolismo na cultura ocidental.
A Rosa é uma flor consagrada a muitas deusas da mitologia.
Símbolo de Afrodite e de Vênus (deusa grega e romana do amor).
O cristianismo adotou a Rosa como o símbolo de Maria.
De acordo com o mito grego, Afrodite quando nasceu das espumas do mar, tal espuma tomou forma de uma rosa branca, assim a rosa branca representa a pureza e a inocência.

Conta o mito que quando Afrodite viu Adônis ferido, pairando sobre a morte, a deusa foi socorrê-lo e se picou num espinho e seu sangue coloriu as rosas que lhe eram consagradas. Assim, na Antigüidade as rosas passaram a ser colocadas sobre os túmulos, sendo uma cerimônia chamada pelos antigos de “Rosália”.
Todos os anos no mês de maio enfeitam-se os túmulos com rosas.

A Rosa vermelha significa o ápice da paixão, o sangue e a carne.
Para os romanos as rosas eram uma criação da Flora (deusa da primavera e das flores), quando uma das ninfas da deusa morreu, Flora a transformou em flor e pediu ajuda para os outros deuses.
Apolo deu a vida, Bacus o néctar, Pomona o fruto, as abelhas se atraíram pela flor e quando Cupido atirou suas flechas para espantá-las, se transformaram em espinhos e, assim, segundo o mito diz ter sido criada a Rosa.

A Rosa é, igualmente, consagrada a Isís que é retratada com uma coroa de rosas.
O miolo da Rosa, fechado, fez com que a flor significasse em muitas culturas o símbolo do segredo.

Um costume medieval era de colocar uma Rosa no teto da sala de reuniões indicando que onde houvesse a flor no teto, os assuntos deveriam ser mantidos em segredo.
Logo surgiu o costume de pintar rosas no teto das salas e assim levou a decoração de muitas casas de arquitetura clássica.

Segundo a tradição, cada cor de Rosa tem um significado, já na Alquimia representa o feminino e corresponde ao órgão sexual da mulher.

Na tradição Hindu, a deusa Lakshmi (deusa do amor), nasceu de uma Rosa.
Simbolismo da beleza e da pureza, perfeição em todos os sentidos, na Idade Média a Rosa passou a ser símbolo da virgem Maria por significado de pureza.
As rosáceas das catedrais góticas foram dedicadas a Maria como emblema do feminino em oposição à cruz.
Os rosários originais eram feitos com pétalas de rosa.
A palavra “rosário” deriva do latim “rosarium” que significa roseiral.

Inúmeros são os mitos sobre a Rosa, em geral tem o significado do amor, seja espiritual, carnal, virginal.
Símbolo da pureza a rosa possui suas propriedades não só simbolicamente, mas é aproveitada na medicina, para perfumes, culinária, entre outros atributos.
A Rosa tornou-se simbolismo do amor e, por isso, muitas pessoas têm o hábito de presentear quem ama com a flor do amor.

escrito por Por Letícia de Castro

Na simbologia chinesa, a rosa está associada à juventude, por seu frescor e suavidade.

Entre diversos povos da Europa foi atribuída à rosa dignidade real, significando recuperação, generosidade.

SIMBOLOGIA E CURIOSIDADES SOBRE A ROSA
O nome vem do latim rosa e do grego rhodon.
As rosas estão entre as flores mais antigas a serem cultivadas.
A primeira parece ter crescido nos jardins asiáticos há 5000 anos.
Na sua forma selvagem, a flor é ainda mais antiga.
Fósseis dessas rosas datam de há 35 milhões de anos.
Muitas variedades de rosas foram perdidas durante a queda do império romano e a invasão mulçumana na Europa.
Após a conquista da Pérsia no séc. VII, os mulçumanos desenvolveram o gosto pelas rosas e, à medida que seu império se estendia da Índia à Espanha, muitas variedades de rosas foram novamente introduzidas na Europa.
Durante a idade média, as rosas eram muito cultivadas nos mosteiros.
Era regra que pelo menos um monge fosse especialista em botânica e estivesse familiarizado com as virtudes medicinais da rosa e das flores em geral.
Sheakespeare, em Romeu e Julieta, com uma única frase, definiu bem aquilo que sentimos por esta flor: “aquilo que chamamos de rosa, com outro nome, seria igualmente doce”.

As propriedades medicinais das rosas são várias.
A rosa vermelha, por exemplo, é usada na afecção da garganta e boca, também na atonia digestiva e diarréia.
A rosa branca é usada na prisão de ventre infantil e, também, em inflamação dos olhos. Geralmente se faz infusão das folhas e pétalas.

Existem muitos mitos, lendas e curiosidades em relação com as rosas.
A mitologia grega, conta uma história de que Afrodite deu uma rosa ao seu filho Eros, o Deus do amor.
A rosa tornou-se um símbolo de amor e desejo.
Eros deu a rosa à Harpócrates, o Deus do silêncio, para induzir a não falar sobre as indiscrições amorosas de sua mãe.
Assim, a rosa se tornou também um símbolo do silêncio e do segredo.

Os romanos acreditavam que, ao decorar seus túmulos com rosas, apaziguariam os Manes (espíritos dos mortos) e os ricos incluíam em seus testamentos, que jardins inteiros de rosas fossem mantidos para fornecerem flores para suas sepulturas.

Nero era louco por rosas. Durante generosos jantares, pétalas de rosas choviam do teto para o banquete.

Os romanos tinham suas próprias idéias sobre a origem da flor.
De acordo com sua lenda, muitos pretendentes foram escolhidos para casar com uma bela mulher chamada Rodanthe, mas ela não se interessou por nenhum.
Estes homens estavam tão cheios de amor e desejo que se tornaram violentos e invadiram a casa de Rodanthe.
Este episódio enfureceu a Deusa Diana, que transformou a mulher em uma flor e os pretendentes em espinhos.

A rosa é usada em várias simbologias.
Talvez a mais famosa seja dos Rosacruzes.
A regeneração universal e o segredo da imortalidade, constituíam a preocupação máxima dos alquimistas ligados à fraternidade dos Rosacruzes.
Com a justaposição da rosa na intersecção dos ramos da cruz, simbolizavam eles, como se entendeu das inscrições hieroglíficas encontradas no grande triângulo descoberto no templo de Benares, a junção dos dois sexos, que levava, afinal, ao segredo da imortalidade.
A rosa era o gracioso emblema de mulher, a imagem da discrição e, portanto o símbolo do silêncio; enquanto a cruz significava a virilidade do sol, pois era a junção que forma a eclíptica com o equador, com os pontos em “Picies” e “Áries” e outro no centro da Virgem.
Dessa união resultaria a regeneração universal, ponto mais alto da doutrina secreta e de partida para a imortalidade.
Neste aspecto, a rosa também significa ressurreição.

A flor da rosa possui, também, a tripla conotação de amor, segredo e fragrância.
Tudo isso reunido daria a fragrância de uma vida santa.
Caso dirigido à virgem da rosa mística.

As rosas assumem significados diversos de acordo com as cores que suas pétalas apresentam. Mas a roseira é uma planta tão emblemática, que até mesmo suas folhas possuem o significado de esperança.
A rosa vermelha significa amor, porém num ramalhete junto com rosas brancas, assume o significado de unidade.
As rosas brancas possuem o significado de inocência e pureza, reverência e humildade ou de segredo e silêncio.
A amarela significa satisfação e alegria.
A rosa cor de rosa significa graça e gentileza.
A cor de laranja significa entusiasmo e desejo.

Talvez a rosa, seja a flor mais enigmática e simbólica de toda a botânica.
Agora, quando você der ou receber rosas, já saberá que, antes de qualquer simbologia, está aí uma grande prova de amor.
Os descendentes de Madalena e Jesus são em última análise, descendentes dos Reis David e Salomão, responsáveis pela estrela de seis pontas, que nada mais é, do que a união do sagrado feminino (o receptáculo) com o sagrado masculino (o doador): O Cálice e a espada, o Céu e a Terra.
O Símbolo da rosa está ligado à figura de Maria Madalena:
“A Rosa Rugosa de cinco pétalas”, que se encontra encravado, esculpido e pintado em todo Templo antigo com referências a ela...
Seria mais uma coincidência ou uma referência ao Pentagrama Divino?
A Rosa Rugosa, é a mais antiga espécie de rosa, que contém cinco pétalas e simetria pentagonal. A rosa também sempre teve forte ligação com a tomada de rumo certo:
A “Rosa dos Ventos” das bússolas a mostrar as direções;
as “Linhas Rosadas”, que são as linhas longitudinais dos mapas.
Também está ligada à idéia de feminilidade da estrela Vênus, que é conhecida como estrela-guia (estrela que indicou o local do nascimento de Jesus) e detentora do poder feminino.
A rosa tem inúmeros significados na simbologia cristã -
indica o sangue derramado e as chagas de Cristo,
simbolizando também a taça que recolheu o sangue sagrado e, devido a essa relação simbólica com o sangue de Cristo, ela é ao mesmo tempo um símbolo do renascimento místico.
Visto ser a rosa na Idade Média um atributo das virgens, ela é também um símbolo da Virgem Maria, e de maneira geral simboliza o amor divino.
"A iconografia eclesiástica tornou a rosa, "a rainha das flores", símbolo da rainha celeste, Maria(...)"(BIEDERMANN, 1994, p. 330).
No forro da Igreja do Sagrado Coração de Jesus de Petrópolis, as rosas estilizadas que contornam os medalhões são atributos claros de Nossa Senhora, mas, também fazem uma alusão nítida às chagas de Cristo por meio de seus cinco espinhos bem definidos.

Rosas: o secretismo (sub rosa), e, de certa forma, um símbolo pagão, ligado muitas vezes a segredos escondidos da igreja durante a Idade Média.
A cada cor está associado um significado diferente, alguns desses significados estão listados em baixo:
Rosas Amarelas: amor por alguém que está a morrer ou um amor platônico, a Deusa em sua face Anciã (Sabedoria)
Rosas Brancas: reverência, segredo, inocência, pureza e paz, a Deusa em sua face virginal (Donzela)
Rosas Champanhe: admiração, simpatia
Rosas Coloridas em tons claros: amizade e solidariedade
Rosas Coloridas, predominando as vermelhas: amor, paixão e felicidade
Rosas Cor-de-rosa: gratidão, agradecimento, o feminino (muitas vezes aparece simbolizando o útero (da mulher) em algumas culturas, como o gineceu está para a cultura ocidental - ver cor-de-rosa)
Rosas Vermelhas: paixão, amor, respeito, adoração, a Deusa em sua face Mãe
Rosas Vermelhas com Amarelas: felicidade
Rosas Vermelhas com Brancas: harmonia, unidade

14 de Maio-Dia de Ísis


A mitologia egípcia reserva o dia de hoje para celebrar o encontro da deusa Ísis com os restos do seu amado Osíris.
Hoje, deixe partir de vez algo que perdeu, ciente de que um dia retornará pra você.
Acenda uma vela lilás e um incenso de mirra para Ísis.

A INVOCAÇÃO DE ÍSIS

Eu contemplei uma grande maravilha no Céu, uma mulher vestida de Sol com a Lua aos seus pés. E sobre sua cabeça estava um diadema de doze estrelas.
Ouça-me, Oh Senhora Ísis, ouça e salve.

Oh tu, rainha do amor e da misericórdia, tu coroada com o trono, tu transportada como pela Lua.
Tu cujo semblante é brando e radiante, como a relva refrescada pela chuva.
Ouça-me, nossa Senhora Ísis, ouça e salve.

Oh tu que é manifesta na matéria.
Tu és noiva e rainha assim como tu és mãe e filha do Assassinado.
Oh tu que és a Senhora da Terra.
Ouça-me, oh Senhora Ísis, ouça e salve.

Oh tu, Dama da pele âmbar.
Senhora do amor e da vitória, portal radiante de glória através dos céus sombrios.
Oh, coroada com a Luz , vida e amor.
Ouça-me, nossa Senhora, ouça e salve

Por tua sagrada flor, o Lótus da vida e beleza eternas;
Por teu amor e misericórdia;
por tua ira e vingança;
por meu desejo para contigo,
por todos os nomes mágicos de antanho
ouça-me, oh Senhora, ouça e salve.

Descubra teu peito para tua criança,
estenda adiante teus braços e aperte-me contra teus seios.
Deixe que meus lábios toquem teus lábios inefáveis.
Ouça-me Senhora Ísis, ouça e salve.

Erga tua voz para ajudar-me nessa hora crítica.
Erga a tua voz mais musical.
Grite alto, oh rainha e mãe, para salvar-me daquilo que eu mais temo.
Eu te invoco para iniciar a minha alma.
O rodopio da minha dança, possa ser um espelho e um elo com tua grande luz,
para que na hora mais escura, a Luz possa surgir em mim e levar-me para tua própria glória e incorruptibilidade.

Ísis sou eu, e da minha vida são alimentadas todas as torrentes e sóis,
todas as luas que crescem e minguam,
todas as estrelas e correntezas,
os vivos e os mortos,
o mistério do prazer e da dor.

Eu sou a Mãe.
Eu sou o mar que fala.
Eu sou a Terra em sua fertilidade.
Vida, morte, amor, ódio, luz, escuridão, voltam à mim, à mim.

Ísis sou eu, e para minha beleza fluem.
Todas as glórias do Universo se curvam, a flor e a montanha e a aurora.
Frutas rosadas e mulheres são criações coroadas.
Eu sou a sacerdotisa, o sacrifício, o santuário.
Eu sou o amor e a vida do Divino.
Vida, morte, amor, ódio, luz, escuridão, certamente são meus, são meus.

Ísis sou eu, o amor e luz da Terra, a riqueza dos beijos, a delícia das lágrimas, o íntimo e o prazer nunca nascidos, o infinito e interminável desejo dos anos.

Eu sou o santuário no qual teu desejo tenaz te devora com fogo intolerável.
Eu sou a música cantada, paixão, morte sobre tua lira, tua lira.
Eu sou o cálice e eu sou a glória agora.
Eu sou a chama e o combustível do teu fôlego.
Eu sou a estrela de Deus sobre tua fronte.
Eu sou a tua rainha arrebatada e possuída.
Das alturas eu dou a estes rios doces as boas vindas ao mar, oceano de amor que te envolverá. Vida, morte, amor, ódio, luz, escuridão, voltam à mim, à mim.

Ouça, Senhora Ísis, e receba minha prece.
A ti, a ti, eu venero e invoco.
Saúdo à ti, mãe única da minha vida.

Eu sou Ísis, mestra de toda a terra.
Eu fui instruída por Hermes, e
com Hermes eu inventei as escritas das nações
a fim de que nem todos pudessem escrever com as mesmas letras.
Eu dei à humanidade suas leis,
e consagrei o que não pode ser alterado.
Eu sou a filha mais velha de Cronos.
Eu sou a esposa e a irmã do rei Osíris.

Eu sou aquela que nasce na estrela do cão.
Eu sou aquela que é chamada de deusa, de mulher.
Eu sou aquela que separou o Céu da terra.
Eu indiquei os caminhos às estrelas.
Eu inventei a arte da navegação.
Eu uni homens e mulheres.
Eu ordenei que os mais velhos fossem amados pelas crianças.
Com meu irmão Osíris eu dei um fim ao canibalismo.
Eu instruí a humanidade nos mistérios.
Eu ensinei reverência às estátuas divinas.
Eu estabeleci os recintos do Templo.
Eu derrubei o jugo dos tiranos.
Eu fiz com que os homens amassem as mulheres.
Eu fiz a justiça mais poderosa do que prata e ouro.
Eu fiz com que a verdade fosse considerada bela.
Venha para mim e prometa-me sua lealdade como eu prometo a minha à você.

Oh mãe Ísis, grande és tu em teu esplendor,
poderoso é teu nome e teu amor não tem limites.
Tu és Ísis, és tudo que sempre foi, e tudo que sempre será,
pois nenhum homem mortal jamais te desvendou.
Em toda a tua graça tu produzistes o Sol, a fruta que nasceu para a redenção do homem.

Oh Ísis, Ísis, Ísis, graciosamente ouça nosso brado à ti,
nós pranteamos por tuas bençãos sobre nós neste dia, todos os dias,
para nutrir, para ajudar e preencher o vazio interior,
que somente você, nossa amada mãe, pode satisfazer.
À ti empenhamos nosso juramento solene de dedicação,
e pelo poder e glória dele, o Um Transcendente, para testemunhar nossa devoção à ti.
Porquanto agora te recebemos em nossos corações,
pedimos que nunca nos deixes,
em tempos de tribulação e regozijo, e mesmo na morte.

A Grande Mãe Brasileira Cy


Sábia e Poderosa, Cy é a Mãe Suprema.
Entrar em contato com a Deusa Cy é estimular a feminilidade e a fertilidade.
O nome Cy, do tupi-guarani, significa mãe.
Para os índios, ela é a Doadora da Vida, Criadora de todas as coisas.
Seu nome está presente em outras Deusas: Nandercy, a Nossa Mãe; Coaracy, a Mãe do Sol; Acy, a Mãe da Lua.

Em Trevas:
Juntamente com Tupan, é um entidade de Arkanun, e foi um dos primeiros seres sobrenaturais a pisar no Brasil.

É uma Deusa de muitas faces, e muito cultuada .
Sua ordem, a Ordem da Grande Mãe, possuía muitas adeptas no passado, e embora o panteão indígena tenha enfraquecido, nas tribos que ainda mantém a tradição, a crença na Deusa é forte.

Caminhos: Terra e Agua.
Cores: Marrom e Branco.
Símbolos: Ovo e Tartaruga.
Talismã: Ovo de Cristal.

IN:Wicca Brasil: Guia de Rituais das Deusas Brasileiras , Mavesper, Cy Ceridwen

O Brasil é o país que concentra o maior número de pessoas a cultuarem uma das manifestações da Grande Mãe, como Iemanjá, a deusa ancestral das águas, Senhora do Mar.
Só perde para a Índia, onde inúmeras deusas são cultuadas até hoje.

Anualmente, às vésperas do Ano Novo e no dia dois de fevereiro, milhões de pessoas levam suas oferendas e orações para as praias brasileiras, ou saem em procissões marítimas ou fluviais, similares às antigas cerimônias egípcias e romanas – Navigium Isidi – dedicadas a Ísis, Deusa Mãe protetora dos viajantes e das embarcações.

Apesar da devoção brasileira a Iemanjá, seu culto não é nativo - ele foi trazido ao Brasil no século XIII pelos escravos da nação ioruba.

Yemojá ou YéYé Omo Ejá, a “Mãe cujos filhos são peixes”, era o orixá dos Egbá, a nação ioruba estabelecida outrora perto do rio Yemojá, no antigo reino de Benin.
Devido a guerras, os Egbá migraram e se instalaram às margens do rio Ogun, de onde o culto a Iemanjá foi trazido pelos escravos para o Brasil, Cuba e Haiti.

Nesses países, Iemanjá passou a ser venerada como a “Rainha do Mar”, orixá das águas salgadas, apesar de sua origem ter sido “o rio que corre para o mar”, sua saudação sendo Odo-Yiá, que significa “Mãe do Rio”.

Analisando os nomes Ya / man / Ya e Ye / Omo / Ejá conforme a “Lei de Pemba” – a grafia sagrada dos orixás, postulada pela Umbanda Esotérica, encontram-se os mesmos vocábulos sagrados que significam “Mãe das águas, Mãe dos filhos da água (peixes) e Mãe Natureza”.

Iemanjá é considerada pela Umbanda Esotérica como uma das sete Vibrações Originais, o princípio gerador receptivo, a matriz dos poderes da água, a representação do eterno e Sagrado Feminino.
Portanto, Iemanjá personifica os atributos lunares e aquáticos da Grande Mãe, de padroeira da fecundidade e da gestação, inspiradora dos sonhos e das visões, protetora e nutridora, mãe primeva que sustenta, acalenta e mitiga o sofrimento dos seus filhos de fé.

No entanto, por mais que Iemanjá seja reconhecida e venerada no Brasil, ela não representa a Mãe Ancestral nativa, que tenha sido cultuada pelas tribos indígenas antes da colonização e da chegada dos escravos.

Infelizmente, muito pouco se sabe a respeito das divindades e dos mitos tupi-guarani.
A cristianização forçada e a proibição pelos jesuítas de qualquer manifestação pagã, destruiu ou deturpou os vestígios de Tuyabaé-cuáa, a antiga tradição indígena, a sabedoria dos velhos payés.

Segundo o escritor umbandista W.W. da Matta e Silva e seus discípulos Rivas Neto e Itaoman, a raça vermelha original tinha alcançado, em uma determinada época distante, um altíssimo patamar evolutivo, expresso em um elaborado sistema religioso e filosófico, preservado na língua-raiz chamada Abanheengá, da qual surgiu Nheengatu, a “lingua boa”, origem dos vocábulos sagrados dos dialetos indígenas.

Com o passar do tempo, a raça vermelha entrou em decadência e, após várias cisões, seus remanescentes se dispersaram em diversas direções.
Deles se originaram os tupi-nambá e os tupi-guarani, que se estabeleceram em vários locais na América do Sul.

As concepções do tronco tupi eram monoteístas, postulando a existência de uma divindade suprema, um divino poder criador (às vezes chamado de Tupã) que se manifestava por intermédio de Guaracy (o Sol) e Yacy (a Lua) que, juntos, geraram Rudá (o Amor) e, por extensão, a humanidade.
O culto a Guaracy era reservado aos homens, que usavam os tembetá, amuletos labiais em forma de T, enquanto as mulheres veneravam Yacy e Muyrakitã, uma deusa das águas, e usavam os amuletos em forma de batráquios e felinos, pendurados no pescoço ou nas orelhas.

Guaracy era a manifestação visível e física do poder criador representado pelo Sol.
Apesar deste astro ser considerado o princípio masculino na visão dualista atual, a análise dos vocábulos nheengatu do seu nome revela sentido diferente.
Guará significa “vivente”, e cy é “mãe”, o que formaria a “Mãe dos seres viventes”, a força vital que anima todas as criaturas da natureza, a luz que cria a vida animal e vegetal.
Também em outras tradições e culturas (japonesa, nórdica, eslava, báltica, australiana e nativa americana), o Sol era considerado uma Deusa, o que nos faz deduzir que, para os tupi, a vida e a luz solar provinham de uma Mãe - Cy - que só mais tarde foi transformada em Pai.

Yacy era a própria Mãe Natureza, seu nome sendo composto de Ya (senhora) e Cy (mãe), a senhora Mãe, fonte de tudo, manifestada nos atributos da Lua, da água, da natureza, das mulheres e das fêmeas.

Cy - ou Ci - representa, portanto, a origem de todas as criaturas, animadas ou não, pois tudo o que existe foi gerado por uma mãe que cuida da sua preservação, do nascimento até a morte. Sem Cy (mãe), não há nem perdura a vida, pois ela é a Mãe Natureza, o principio gerador e nutridor da vida.

Na língua tupi existem váris nomes que especificam as qualidades maternas:
Yacy, a Mãe Lua;
Amanacy, a mãe da chuva;
Aracy, a mãe do dia, a origem dos pássaros;
Iracy, a mãe do mel;
Yara, a mãe da água;
Yacyara, a mãe do luar;
Yaucacy, a mãe do céu;
Acima Ci, a mãe dos peixes;
Ceiuci, a mãe das estrelas;
Amanayara, a senhora da chuva;
Itaycy, mãe do rio da pedra, e tantas outras mães – do frio e do calor, do fogo e do ouro, do mato, do mangue e da praia, das canções e do silêncio.

As tribos indígenas conheciam e honravam todas as mães e acreditavam que elas geravam seus filhos sozinhas, sem a necessidade do elemento masculino, atribuindo-lhes a virgindade - o que também em outras culturas simbolizava sua independência e auto-suficiência.
Em alguns mitos e lendas, as virgens eram fecundadas por energias numinosas em forma de animais (serpente, pássaro, boto), forças da natureza (chuva, vento, raios), seres ancestrais ou divindades.

A explicação da omissão, na mitologia indígena, do elemento masculino na criação era o desconhecimento do papel do homem na geração da criança, além do profundo respeito e reverência pelo sangue menstrual que, ao cessar “milagrosamente”, se transformava em um filho.
Somente pela interferência dos colonizadores europeus e pela maciça catequese jesuíta que, na criação do homem, o Pai assumiu um papel preponderante, o Filho tornou-se o segundo na hierarquia, salvador da humanidade - como Jurupary, e à Mãe coube apenas a condição de virgem (como Chiucy).

Porém, apesar do zelo dos missionários para erradicar os vestígios dos cultos nativos da cultura indígena e dos escravos, muitas de suas tradições sobrevivem nas lendas, nos costumes folclóricos, nas práticas da pajelança e encantaria que estão ressurgindo, cada vez mais atuantes, saindo do seu ostracismo secular.

Um outro arquétipo da Mãe Ancestral é descrito no mito amazônico da Boiúna, a Cobra Grande, dona das águas dos rios e dos mistérios da noite.
Apresentada como um monstro terrível que vive escondido nas águas escuras do fundo do rio e ataca as embarcações e pescadores, a Boiúna ou Cobra Maria é, na verdade, a Face Escura da Deusa, a Mãe Terrível, a Ceifadora, que tanto gera a vida no lodo como traz a morte, no eterno ciclo da criação, destruição, decomposição e transformação.

Outro aspecto da Mãe Escura é Caamanha, a “Mãe do Mato”, que protege as florestas e os animais silvestres, e pune, portanto, os desmatamentos, as queimadas e a violência contra a Natureza.
Pouco conhecida, ela foi transformada em dois personagens lendários: Curupira e Caapora. Descritos como seres fantasmagóricos, peludos, com os pés voltados para trás, às vezes com um aspecto feminino, são os guardiões das florestas, que levavam os caçadores e invasores do seu habitat a se perderem nas matas, punindo-os com chicotadas, pesadelos ou até mesmo a morte.

Nas lendas guarani relata-se a aparição da “Mãe do Ouro”, que surge como uma bola de fogo ou manifesta-se nos trovões, raios e ventos, mostrando a direção da mudança do tempo.
Em sua representação antropomórfica, ela torna-se uma linda mulher que reside em uma gruta no rio, rodeada pelos peixes e de onde se estende nos ares como raios luminosos, ou então surge na forma de uma serpente de fogo, punindo os destruidores das pradarias.
Em sua versão original, ela era considerada a guardiã das minas de ouro, que seduzia os homens com seu brilho luminoso, afastando-os das jazidas.
Seu mito confunde-se com o do Boitatá, uma serpente de contornos fluídicos, plasmada em luz com dois imensos olhos, guardando tesouros escondidos, reminiscência dos aspectos punitivos da Mãe Natureza, defendendo e protegendo suas riquezas.
A deturpação cristã do mito punitivo pode ser vista na figura da “Mula sem Cabeça”, metamorfose da concubina de padre, que assombra os viajantes nas noites de sexta-feira (dia dedicado, nas culturas pagãs, às deusas do amor, como Astarte, Afrodite, Vênus, Freyja) e do Teiniágua, lagarto encantado que se transforma em uma linda moça para seduzir os homens, desviando-os dos seus objetivos.

Quanto ao significado esotérico de Muyrakitã, devemos decompor seu nome em vocábulos para compreender sua simbologia feminina:
Mura - mar, água;
Yara - senhora, deusa;
Kitã - flor.

Podemos então interpretá-lo como “A deusa que floriu das águas” ou “A Senhora que nasceu do mar”.
Esta divindade aquática, considerada a filha de Yacy, era reverenciada pelas mulheres que usavam amuletos mágicos chamados ita-obymbaé, confeccionados com argila verde, colhida nas noites de Lua Cheia no fundo do lago sagrado Yacy-Uaruá (“Espelho da Lua”), morada de Muyrakitã.
Esses preciosos amuletos só podiam ser preparados pelas ikanyabas ou cunhãtay, moças virgens escolhidas desde a infância como sacerdotisas do culto de Muyrakitã - vetado, portanto, aos homens.
Nas noites de Lua Cheia, as cunhãtay, devidamente preparadas, esperavam que Yacy espalhasse sua luz sobre a superfície do lago e, então, mergulhavam à procura da argila verde.
A preparação das virgens incluía jejum, cânticos e sons especiais (para invocar os poderes magnéticos da Lua), além da mastigação de folhas de jurema, uma árvore sagrada que contém um tipo de narcótico que facilitava as visões.
Enquanto as cunhãs mergulhavam, as outras mulheres ficavam nas margens do lago entoando cânticos rítmicos ao som dos mbaracás (chocalhos).
Depois de “recebida” a argila das mãos da própria Muyrakitã, ela era modelada em discos com formato de animais, sendo deixado um pequeno orifício no centro.
Em seguida, todas as mulheres realizavam encantamentos mágicos, invocando as bênçãos de Muyrakitã e Yacy sobre os amuletos, até que Guaracy, o Sol, nascia, solidificando a argila com seus raios.

Esses amuletos, que ficaram conhecidos com o nome de muiraquitã, tinham cor verde, azul ou cor de azeitona e eram usados no pescoço ou na orelha esquerda das mulheres.
Acreditava-se que eles conferiam proteção material e espiritual e que podiam ser utilizados para prever o futuro, nas noites de Lua Cheia, depois de submersos na água do mesmo lago e colocados na testa das cunhãs, invocando-se as bênçãos de Yacy e Muyrakitã.

No nível exotérico, profano, o muiraquitã é conhecido como um talismã zoomorfo, geralmente em forma de sapo, peixe, serpente, tartaruga ou de felinos, talhado em pedra (nefrita, esteatita, jadeíta ou quartzito), bem polido, ao qual se atribuíam poderes mágicos e curativos.
Foram encontrados vários deles na área do baixo Amazonas, entre as bacias dos rios Trombetas e Tapajós, sendo chamados de “pedras verdes das Amazonas”.
Poderia ser uma confirmação do mito das Amazonas ou Ycamiabas, as “mulheres sem homens”, como foram chamadas pelo padre Carvajal, da expedição de Francisco de Orellana, em 1542.
Os relatos míticos as descrevem como mulheres altas, belas, fortes e destemidas, longos cabelos negros, trançados, tez clara, que andavam despidas e utilizavam com maestria o arco e a flecha para guerrear e caçar.
Diz a lenda que elas escolhiam anualmente homens para serem os pais de seus filhos, presenteando-os com muiraquitãs.
Outras fontes afirmam que elas usavam ornamentos de pedras verdes esculpidos em forma de animais como objetos de troca com visitantes ou tribos vizinhas.

Os missionários atribuíam aos índios tapajós a origem dos muiraquitãs, mas eles eram apenas seus portadores, não os fabricantes, exibindo-os como símbolos de poder ou riqueza, ou ainda como compensação na realização de ritos fúnebres, nas cerimônias de casamento ou para selar alianças e acordos de paz entre as tribos.

Ocultos em mitos, lendas e crenças, existem ainda muitos resquícios das antigas tradições e cultos indígenas.
Descartando as sobreposições e distorções cristãs e literárias, poderemos resgatar a riqueza original das diversas e variadas apresentações da criadora ancestral brasileira, Mãe da natureza e de tudo o que existe, que existiu e sempre existirá.
Cabe aos estudiosos e pesquisadores atuais desvendar os tesouros históricos do passado indígena brasileiro, com isenção de ânimo e sem distorções, em uma sincera dedicação e lealdade à verdade original, para oferecer às nossas mentes as provas daquilo que os nossos corações femininos sempre souberam, ou seja, "que a Terra é a nossa Mãe, que nos tempos antigos os seres humanos veneravam e oravam para uma Criadora, que abria os portais da vida e da morte, cujos templos eram a própria Natureza, que somos todos irmãos por sermos seus filhos, interligados por fazermos parte da teia cósmica e telúrica da Sua Criação”.